All posts by Dine

Screen shot 2010-12-04 at 8.18.13 PM

Blackbird Pie WordPress Plugin

WOOT! Our Twitter Blackbird Pie plugin is now available on wordpress.com http://ow.ly/35bMC
@themergency
Themergency


Pra quem não conhecia o Blackbird Pie do Twitter, agora tem um plugin de WordPress que facilita o uso.

E sim, este blog basicamente virou um blog para testar e divulgar plugins de WordPress… (é só nessas horas que me lembro dele)

:)

did_you_know

Você sabia?

Os vídeos “Did you know?” são resultado de pesquisas feitas por Karl Fisch, Scott McLeod, e Jeff Brenman.

Aqui tem uma lista completa dos vídeos “Did you know?”, com links para ver online, baixar, e até legendas para tradução. Aliás, foi legal conhecer o dotSUB, site para fazer traduções colaborativas de vídeos.

Abaixo você confere o último vídeo com esses fatos e números impressionantes.

Did you know 4.0

Dica do Lucas Pedroza

cartoon_ie6

Porque o IE6 tem que morrer

cartoon_ie6Coisas legais que poderemos fazer assim que o IE6 morrer:

  • Usar child selectors

    Chega de definir regras infinitas para cancelar outras regras. Com CSS2 poderemos especificar regras de CSS válidas apenas aos child selectors, e não a todos os descendentes em geral.

  • Usar PNGs de 24 bits

    Chega de recortar várias imagens diferentes por causa da cor de fundo, pra que os cantos da imagem tenham um anti-alias decente. Com suporte ao PNG alpha-channel podemos usar imagens com sombras, brilhos e outros efeitos de opacidade, com a certeza de que funcionará em todos os browsers.

  • Usar seletores de atributo

    Chega de definir classes para inputs – como <input class=”text” /> – quando podemos diferenciar com seletores de atributo no CSS2, como input[type="text"]. Podemos até usar seletores de atributos com substring-matching, que pode ser muito útil definindo seletores que se aplicam a vários atributos diferentes, diminuindo significantemente a quantidade de código que leva para direcionar grupos de elemendos com nomes de classe diferentes (por exemplo).

  • Usar mais opções da propriedade display

    Usar propriedades como display:inline-block em vez de float:left significa que não é mais necessário infindáveis floats dentro de floats; ou o uso (duvidoso) de overflow:hidden, só para que os blocos se encaixem. (Mesmo que a gente tenha esperado pelo Firefox 3 para usar isso também).

  • Usar min-width e max-width

    Embora a implementação de width do IE6 seja bem parecida com a implementação de min-width, não é a mesma coisa, e não resolve todos os casos; além de não fazer nada parecido como o max-width. Com o fim do IE6 vem o renascimento do block-layout design, com a flexibilidade que os designers vem pedindo há anos.

  • Jogar fora 90% dos hacks de CSS (e 90% das razões de usá-los!)

    Não vamos precisar nos preocupar com caraceres repetidos bizarramente, blocos que somem misteriosamente, ou as malditas margens com o dobro do que foi declarado; com o fim do IE6 vem o fim da necessidade de achar e corrigir uma grande quantidade de erros na hora de render uma página.

  • Usar abbreviações que todos podem ver

    Embora pessoalmente use o elemento <abbr> e nunca <acronym>, ainda é ruim lembrar que os usuários de IE6 não verão a expansão, e irrita mais ainda o fato de precisar de um script pra isso (e nem sempre poder usá-lo).

  • Poder confiar no z-index de novo

    Chega de quebrar a cabeça enquanto tentamos descobrir por que a layer X está na frente da layer Y quando devia estar por baixo, imaginando o que fizemos de errado, quando vemos que – doh – não fizemos nada de errado, é um bug do IE6.

  • Economizar tempo e dinheiro

    Menos tempo criando hacks significa menos tempo de desenvolvimento e custo menor.

  • Nos divertir de novo!

    Escrever CSS vai ficar mais prazeroso do que nunca. Quer dizer, até que as nossas expectativas aumentem de novo e o IE7 vire nosso novo inimigo….

  • Mas ainda vamos ter que esperar por CSS Counters, box-sizing, e suporte decente a JavaScript (e muito mais…. como suporte a Canvas / SVG!).

    Quem sabe o plano de update automatico para IE8 vai resolver esse problema.

    Esse post é uma tradução desse post do Ajaxian, porque eu acho que todo mundo deve saber disso! :)